habitos bucais e suas sequelas
Author

Hábitos bucais e suas sequelas

Hábitos bucais e suas sequelas

 

Os seres humanos sempre tem alguma ação que se repete com regularidade e frequência. Certas atitudes fazem as pessoas agirem no “piloto automático” influenciadas por uma força muito forte – a força do hábito.

Hábitos basicamente podem ser classificados como bons ou ruins; mas, enquanto é fácil se acostumar com os bons, não é tão fácil eliminar os ruins. Além disto, estes podem trazer graves sequelas/consequências caso o indivíduo não busque os tratamentos adequados.

Neste contexto, se encontram também os hábitos bucais que são aqueles definidos como sendo determinados comportamentos que alguém pratica várias vezes e que, com o passar do tempo, vão sendo incorporados à personalidade da pessoa de forma inconsciente.

Principais hábitos bucais causadores da má oclusão

Dentre os diversos hábitos bucais que podem causar a má oclusão, os principais são:

  • Escolha e uso inadequado do bico da mamadeira.
  • Sucção digital e da chupeta – a má oclusão resultante destes hábitos bucais se localiza principalmente na região anterior do arco, os dentes não se tocam.
  • Interposição lingual – a mordida aberta anterior é originada pela pressão anterior que a língua faz sobre os dentes
  • Respiração bucal – nos pacientes com obstrução respiratória, a posição anormal que a língua ocupa entre os dentes anteriores modifica a interação de forças que sustentam e modelam os dentes, o palato e as bases ósseas superiores.

Os hábitos bucais passam a ser considerados deletérios quando são praticados com mais frequência, intensidade e duração, ocasionando alterações no desenvolvimento e crescimento dos arcos dentários e da face.

A mordida aberta anterior (MAA) é a que ganha destaque em relação a más oclusões provocadas por hábitos de sucção.

Ademais, alguns autores especialistas neste assunto afirmam que a pessoa pode se tornar respirador bucal em consequência de hábitos bucais deletérios, onde o principal responsável é a falta ou pouco tempo de amamentação na infância, associado a utilização de mamadeiras com furo avantajado ou bicos longos.

Até mesmo diversos estudos comprovam que existe sim uma estrita relação entre o tempo de aleitamento materno e a manifestação de hábitos bucais deletérios.

De acordo com estas pesquisas, as alterações bucais não necessitam de intervenção ou podem ser consideradas fisiológicas somente entre 0 a 3 anos; após esta idade é imprescindível remoção dos hábitos e tratamentos específicos para hábitos bucais.

Hábitos bucais – tratamentos

O paciente que apresentar hábitos bucais deletérios, sem dúvida deve procurar a/o profissional dentista que será o responsável por fazer o correto diagnóstico e informar quais tratamentos para hábitos bucais são mais eficazes para cada caso específico.

Vale salientar que a/o profissional da odontologia deve contar com a contribuição de outras especialidades, tais como:

  • Otorrinolaringologia
  • Fonoaudiologia e
  • Pediatria.

Assim, estará atuando em um hábito bucal eliminando ou reduzindo suas causas mais aparentes. Este é um dos procedimentos indispensáveis para o êxito de qualquer terapia ortodôntica preventiva, interceptora ou corretiva.

Portanto, é extremamente necessário que o paciente faça o correto diagnóstico e interceptação precoce quanto aos  hábitos bucais, principalmente quando já são considerados deletérios.

Desta forma, se torna mais fácil oferecer um tratamento eficaz para o paciente evitando o agravamento de má oclusão.

Leia mais: http://www.naiaodonto.com.br/ortopedia-funcional/habitos-bucais/

.

Avatar
Naia Tonhá Almeida
Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares, Odontopediatria e Homeopatia.

Leave a Comment